terça-feira, 10 de agosto de 2010

Boralá!


Depois de um longo período de reclusão esportiva, volto a escrever nesse singelo e amado blog. Junto com a retomada do blog, que está de cara nova também, volto a ser uma triatleta. Nesses tempos tenho me dedicado apenas à natação e algumas vezes ao ciclismo. É bom descansar um pouco e se transformar numa “monoatleta” sem compromisso nenhum. Principalmente no inverno. Assim como a natureza desacelera, as noites ficam mais longas e o frio deixa a gente com preguiça, resolvi desacelerar de tudo, curtir o friozinho, dar uma (leve) engordada, dormir um pouco mais. Não surtei, não me atirei do prédio de tédio como diria a canção. Curti e tenho curtido essa fase hibernal da minha vida atlética.

Mas sinto saudade dos treinos do triathlon, isso é muito bom! Fiquei parada nos treinos mas não parei de ler artigos, livros e revistas esportivas. Fiz questão de perder a copa do mundo de futebol e fiz questão também de NÃO perder o Tour de France, que foi muito bom esse ano, diga-se de passagem. Por enquanto, sem nenhum caso de dopping. Agora quero ficar ligada na Vuelta a España que a ESPN vai transmitir e eu nunca assisti nenhuma etapa. Começa no dia 28 de agosto e, inclusive, promete ser BEM emocionante: a primeira etapa é um contra-relógio por equipes noturno! Em Sevilha. Muito louco.

Barefoot running ou correndo descalço
Um assunto que está sendo muito discutido é a corrida descalço. O que estão dizendo é que o tênis, que é uma invenção da Nike nos anos 70, faz com que a gente corra de forma incorreta: aterrissando com o calcanhar primeiro no solo, o impacto é muito maior nas articulações e isso já foi comprovado por um estudo feito por um grupo de pesquisadores de Harvard. Se correr de tênis causa mais lesões que correr descalço, ninguém sabe ainda. Mas dá pra gente ir tirando nossa própria conclusão pela lógica. Vou escrever um post só sobre o tema. O assunto é muito interessante e tem bastante gente falando nele. Só sei que antes de sair correndo descalço por aí é preciso corrigir a técnica de corrida e fortalecer músculos e tendões da região do calcanhar e da panturrilha. Mas as empresas de tênis já estão de olho nessa tendência e tenho visto nas revistas americanas de corrida e triathlon muitas propagandas de tênis minimalista, ou seja, com pouca borracha embaixo. Eu estou adorando tudo isso porque pra mim faz todo o sentido.

Elite do triathlon nacional
Carla Moreno e Colucci foram bem na Copa do Mundo de triathlon na Hungria. Colucci ganhou e a Carla (2:01:10) ficou em terceiro. Ok. Sem querer ser chata, mas já sendo, a nata do triathlon mundial não estava lá. A próxima brasileira, Pamela Oliveira, chegou em 39.o lugar. Flavia Fernandes, em 44.o. Fernanda Garcia : 56.o. Não vejo renovação no triathlon feminino nacional, essas meninas são super fortes aqui dentro mas lá fora o desempenho é quase medíocre. Eu acho que pra melhorar esse quadro só fazendo intercâmbio com os gringos, como fizeram no salto com vara, ginástica olímpica, natação. Enquanto elas ficarem presas aqui dentro vai ser isso aí mesmo. É o que eu penso.

Já levei minha bike no Elpídio, meu mecânico, pra fazer revisão. Tirei a poeira do tênis. Limpei o bolor do óculos de natação. Agora é começar tudo de novo, semestre novo, treinos novos, quem sabe até um amor novo! Boralá!

7 comentários:

  1. Back to life. Muito bom. Fez falta.

    ResponderExcluir
  2. É isso ai Thelma volte logo. Estou terminando de ler o livro achei simplesmente fantástico, estou usando o nike free, achei bom mas o calcanhar ainda é muito alto, próximo passo Five Fingers.

    ResponderExcluir
  3. vai de asics hyper speed 3. flat !!!!

    ResponderExcluir
  4. Thelminha, querida
    Que bom que vc está de volta! Eu tou indo, mas já volto. Estou com saudades dos seus textos!
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Que legal que você voltou a postar Thelma. Eu li escrito "amado blog". Então não desapareça mais.

    ResponderExcluir
  6. Obrigada pessoal! Estava mesmo com saudade do blog e principalmente de vocês!!!!
    Claudião: eu prometo que não desapareço mais não! rsrsrs

    ResponderExcluir
  7. Paulo Cesar Alves Martinssexta-feira, 10 setembro, 2010

    Oi Thelma, como ocorreu com vc, eu também desenvolvi um quadro de trombose venosa profunda; fiquei internado p 9 dias; hoje (10/09)fazem 13 dias desde o diagnóstico médico.Estou em casa tomando o marevan via oral.

    Também sou triatleta,43anos, corro desde os 17anos,tendo participado de 5 maratonas,e 4 ironmans ,dentre outros 1/2 irons; pois bem; no momento me encontro meio "perdido",pego de surpresa pela TVP; e gostaria de dizer aqui, que os seus relatos sobre como enfrentou o problema me deixaram bem mais confiante sobre a situação em que me encontro.

    Quero deixar meu email p possíveis dicas que vc tenha sobre o tratamento:

    martipaa@hotmail.com

    Sucesso e um excelente retorno ao triathlon!

    Att; Paulo .

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário, obrigada!